Sisu: Como começar a faculdade por meio do programa do governo?

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é gerenciado pelo Ministério da Educação (MEC) e foi criado com o objetivo de intermediar a disponibilização das vagas das universidades públicas aos vestibulandos brasileiros. Entretanto, para utilizar esse sistema é preciso que o estudante tenha realizado o último Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) realizado pelo Ministério.

Sisu e ENEM

Atualmente o ENEM é a porta de entrada para grande parte das instituições de nível superior do país – e algumas particulares para quem for utilizar o Programa Universidade para Todos (Prouni). Por meio da realização dele e da obtenção da nota, o estudante se cadastra no Sisu e escolhe até duas vagas em universidades de qualquer região do país. Essa inscrição é feita de forma simples, com a utilização apenas do número de inscrição e senha do ENEM.

Essa seleção via Sisu só ocorre uma vez por ano, assim como o ENEM. Sem dúvida alguma, a maior vantagem do Sisu e do ENEM é a integração das modalidades de cotas na competição pela vaga. Ao selecionar uma universidade, o aluno deve afirmar se o mesmo faz parte da ampla concorrência (que são os alunos que não pertencem a nenhuma minoria ou vulnerabilidade que justifique participar das cotas), das cotas ou ainda das políticas afirmativas das universidades.

Ao longo dos dias de inscrição, uma vez ao dia, o sistema calcula a nota de corte. É a menor nota possível para que um aluno alcance a vaga. Esse cálculo é apenas uma estimativa e todos os dias ele muda à medida que os alunos vão se inscrevendo e novas notas vão alimentando a base de dados. Ao fim dessa etapa de inscrição pelo aluno, o sistema se encarrega de eleger os alunos com as melhores notas. Caso o aluno logre qualquer uma das duas opções que selecionou, o sistema só contará como válida a primeira opção.

Caso o aluno não seja selecionado pelas chamadas regulares, ele tem a opção de manifestar interesse pela vaga na Lista de Espera – que, como o nome informa, é uma lista para possíveis vagas não ocupadas.

Algumas ressalvas no Sisu

Algumas instituições impõem uma nota mínima do ENEM para que o aluno entre no Sisu. Além disso o próprio Sisu veda a participação do aluno que tirou a nota 0 na prova de Redação.

É possível que sua nota do ENEM varie bastante à medida que você for conferindo os cursos. Porque cada universidade distribui pesos das notas entre as áreas do conhecimento. E o Sisu até exibe quais são esses pesos, mas somente no dia de inscrição às vagas; se você deseja compreender sua nota de forma antecipada você precisa consultar na Internet previamente. Por exemplo: Medicina na UFSCAR (Universidade Federal de São Carlos) atribui peso 1 para Redação, enquanto na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), o peso é 3.

Quanto ao Ensino a Distância (EaD) o Sisu não tem participação alguma. E a edição do Sisu mais recente, em 2019, assim como no ano anterior, sofreu algumas atualizações sendo prorrogado o seu funcionamento.